Análise Individual;   Análise de Casal;    Análise de Família;    Análise de Grupo.

PSICANÁLISE

Uma das principais funções do psicanalista é a análise do inconsciente, uma parte do psiquismo que não temos acesso sem que haja a intervenção clínica de um profissional da área. Para acessar o inconsciente existem diversos recursos respaldados na teoria psicanalítica, tais como análise do discurso verbal e não verbal, a interpretação dos sonhos, atos falhos, lapsos e sintomas de origem emocional.

 

Como nos comportamos?  Porque reagimos assim numa situação limite, ou estressante? Porque temos esses medos?

O que nos faz definirmos de tal forma quando nos descrevemos a alguém?  Tudo isso vem do inconsciente! 

O trabalho psicanalítico consiste em fazer uma análise do inconsciente, através de uma metodologia de trabalho em que a história de vida da pessoa vai ganhando um novo significado, como um quebra cabeça, montado sessão a sessão pela dupla, analista/analisando. A Psicanálise entende que algumas doenças podem ser encaradas como sintomas. Exemplos como as somatizações, os medos, as limitações, algumas doenças que em alguns casos podem ser diagnosticadas como psicossomáticas, como algumas alergias na pele, crises asmáticas, casos de prisão de ventre, queda de cabelo, enfim uma imensa variedade de manifestações que são uma expressão no corpo físico de um questão mal resolvida no campo das emoções.

 

Esses sintomas em muitos casos podem ser a queixa inicial que leva um indivíduo a procurar um tratamento analítico, mas com o tempo, se percebe que a questão é muitas vezes um afeto mal resolvido na trajetória de vida dessa pessoa!Assim, o que diferencia o trabalho psicanalítico é a utilização de técnicas e métodos de analise do inconsciente!

A psicanálise clínica não é um processo somente para quem é diagnosticado com alguma doença mental. Ela é um processo de autoconhecimento que leva a compreendermos melhor a si mesmo, e assim, amadurecermos emocionalmente e vivermos melhor.  

 

ESCLARECIMENTOS

A base legal para  o exercício profissional são: Ministério do Trabalho e Emprego / CBO 2515.50, de 09/02/02, pelo  parecer do Conselho Federal de Medicina, Processo Consulta 4.048/97 de 11/02/1998, o Parecer 309/88 da Coordenadoria de Identificação Profissional do Ministério Público Federal e da Procuradoria da República, do Distrito Federal e Aviso nº. 257/57 de 06/06/1957, do Ministério da Saúde, este último como marco histórico da Psicanálise no Brasil.

Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB 9.394/96), Decreto nº 5.154/2004, Lei nº 9394/96, Decreto nº 5.154/04, Deliberação CEE 14/97, Decreto 2.494/98, Lei Complementar 147/2014 (art. 5-I, IV) e pela Constituição Federal nos artigos 5º incisos II e XIII.

A ocupação psicanalista não é uma especialização, é uma formação que segue princípios, processos e procedimentos definidos pelas instituições reconhecidas nacionais e internacionalmente, podendo o Psicanalista ter diferentes formações, como: Biólogo, Advogado, Médico, Professor, Teólogo, Filósofo, Engenheiro, Farmacêutico, Administrador, Comunicólogo, Pedagogo, etc.

 

​O que compete ao psicanalista?

O psicanalista ajuda o paciente a se autoconhecer, a conhecer razões históricas (pretéritas) de comportamentos e angústias presentes, a elaborar um discurso coerente sobre si e, a partir disso, reorientar seus processos mentais para o presente e o futuro.

O psicanalista trabalha com os sentimentos e emoções, ouve, orienta e auxilia o paciente a buscar em processos inconscientes (recalcados, recusados, esquecidos) as causas e respostas para superação de dores e para melhoras substanciais em relação ao futuro.

O trabalho do psicanalista é trazer do plano inconsciente lembranças, sonhos, símbolos, através de técnicas como: livre associação de ideias, livre associação de palavras, interpretação dos sonhos, interpretação dos desenhos(símbolos).

Esse processo ajuda o analisando a ter uma melhor compreensão de si e superar dores, traumas, complexos, medos e bloqueios.

Quais técnicas são recomendadas para a prática psicanalítica?

As melhores técnicas para o bom desempenho psicanalítico são o diálogo terapêutico, a livre associação de ideias e palavras, a fala do analisando como meio de desmitificação das angústias, o aconselhamento, a reprogramação mental, os insights, a interpretação de sonhos, desejos e angústias.

Facultativamente, o Psicanalista pode associar elementos de áreas correlatas, como programação neurolinguística, coaching e terapias holísticas.

Quais técnicas são recomendadas para a prática psicanalítica?

As melhores técnicas para o bom desempenho psicanalítico são o diálogo terapêutico, a livre associação de ideias e palavras, a fala do analisando como meio de desmitificação das angústias, o aconselhamento, a reprogramação mental, os insights, a interpretação de sonhos, desejos e angústias.

Facultativamente, o Psicanalista pode associar elementos de áreas correlatas, como programação neurolinguística, coaching e terapias holísticas.

 Como deve ser a postura ética do Psicanalista?

O Psicanalista deve ter seu trabalho pautado na ética profissional. Não deve protelar o fim da terapia com o intuito de ganhar mais dinheiro. Não deve usar a técnica terapêutica com o intuito de obter benefícios pessoais. Jamais deve utilizar de seu poder de terapeuta para obter favores do consulente.

Deve-se autorizar Psicanalista no momento em que se sentir amparado, de preferência em um processo conjunto com seus pares.

Não deve fazer nada que possa causar em alguém certo tipo de constrangimento, dor, sofrimento, traumas, complexos, perdas financeiras e pessoais. Não deve exceder sua atuação para atribuições exclusivas de médicos e psicólogos.


 



 

 

Avenida ACM, Edf Fernandez Plaza, 2487 -  Salvador-Bahia

 

Avenida Luiz Tarquínio  Pontes 2580- Edifício Vilas Business  - Vilas do Atlântico - Bahia  

 

 (71) 98893-8701 /  99256-6857  

 

Instagram:  @ tatianepimentelpsic        e-mail:   pimentelpsi@gmail.com